Programas Televisivos Generalistas

Prisoner in her Own Body (Locked in Syndrome)

RTBF / Bélgica / 2016 / 20’

Uma doença assustadora e rara foi descrita em detalhe para o público no livro de memórias bestseller The Diving Bell and the Butterfly. Este fenómeno manifesta-se sobre a forma de uma paralisia que toma conta do movimento de todos os músculos menos dos olhos e das pálpebras. É geralmente resultado de um derrame que causa uma lesão no tronco encefálico no ponto onde passam os nervos vitais para o controlo dos músculos. Os únicos nervos que não são afectados são os que controlam os olhos, por estarem um pouco acima. Contudo, não há qualquer alteração na informação que viaja até ao cérebro, o que quer dizer que o paciente consegue não só ver como ouvir, é capaz de racionalizar numa forma normal, está completamente ciente do ambiente em que está e consegue sentir dor. Por outras palavras, o cérebro está intacto e a pessoa está completamente consciente, presa no seu próprio corpo.

Este pesadelo aconteceu a Caroline, uma mulher jovem que desenvolveu a doença não muito tempo após ter o seu primeiro trabalho. Um coágulo de sangue bloqueou o fornecimento de sangue no seu tronco encefálico, asfixiando as células essenciais para a comunicação entre o seu cérebro e o resto do seu corpo. Após passar um dia em coma, Caroline acordou incapaz de falar e presa num corpo paralisado. A coisa boa sobre a sua situação devastadora foi que a sua síndrome de aprisionamento acabou por estar incompleta, o que lhe permitiu a rapidamente ganhar movimento no seu braço esquerdo. Esta recuperação parcial deu-lhe esperança e fê-la lutar para ganhar uso do resto do seu corpo. Uma luta considerada um sonho impossível pela maioria das pessoas que o observavam, no entanto a sua determinação levou-a a um progresso inexplicável. Todos os dias luta para reclamar de volta o seu corpo. E graças a avanços científicos numa série de áreas, hoje ela pode ter vislumbres de um futuro promissor.

Produzido por Patrice Goldberg
Escrito por Ophélie Delarouzée